segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Transtorno Bipolar


De onde menos se espera é que não sai nada mesmo. Com o bota-fora de Dilma, o PT virou carta fora do baralho. Lula ferido na sua vaidade, cego pela ganância, vencido, se sentindo inútil e na obsessão de jogar holofotes sobre sua apagada figura, abriu as portas do inferno. Ameaçou o governo Temer da mais dura, enérgica, violenta e incansável oposição que um governo já viu. Preocupado em demarcar território onde o interesse do povo não entra, incapaz de governar a si próprio, Lula apela para a tática do quanto pior melhor, que até semana passada era ferrenho opositor, O mesmo, que há poucos dias proclamava que arestas políticas se tiravam nas eleições com o voto democrático, agora passa o rodo, atropela juízes, promotores da justiça, delegados e o supremo estado do direito. O ódio inflamado na ruptura com o novo governo vai de encontro aos anseios de 12 milhões de desempregados, de centenas de trabalhadores que fecharam as portas do seu ganha pão, na contra mão da esperança de tudo se ajeitar. A regra do jogo político, onde o povo é mero detalhe, é não ter regras. Lula se entrega de forma laboriosa ao simulacro da velha política, apegado ao espetáculo bizarro das marionetes, do mise-en scène. Que se lasque o bem coletivo, que se dane a harmonia do país, que prevaleça a insegurança. Acuda Delcídio do Amaral! Vem abaixar este fogo!


Por Mauricio Silva
Postar um comentário