quarta-feira, 13 de julho de 2016

Angustia


Como um pássaro que através das grades admira o sol, as árvores e imagina ninhos, meu amor aprisionado, sonha sua presença e sofre sua ausência.
Sua ausência é presença constante em meus pensamentos em noites mal dormidas em desejos não realizados.
Eu te amo e sei que me amas, mas há esse abismo essa cerca invisível que o destino irônico colocou entre nós.
      Quero não pensar, preciso não sentir essa angústia preciso me acostumar a tê-la assim, cravado no coração e tão distante das mãos.

Desconheço o autor
Postar um comentário